Beasts of Burden – Os investigadores sobrenaturais de Burden Hill

Conheci o título em uma das edições da Dark Horse Apresenta,  uma publicação, lançada aqui pela HQM Editora, que compilava histórias curtas da editora norte-americana conhecida por seus quadrinhos independentes e lar de Hellboy. “Atrás de Comida”, com apenas 8 páginas, foi de longe a que me chamou mais a atenção. Nela, o Doberman Rex e o gato de rua Orphan caçavam um pequeno troll que atacava um galinheiro tal qual uma raposa. As ilustrações, os elementos de fantasia e o equilíbrio e alternância entre comicidade e terror me deixaram bem surpreso. Era o tipo de novidade agradável que deixa o leitor ansioso por saber mais daqueles personagens.

Criado pelo roteirista Evan Dorkin e pela desenhista Jill Thompson, Beasts of Burden apareceu pela primeira vez no título The Dark Horse Book of Hauntings, uma antologia de histórias curtas de terror, publicada em 2003. A ideia de um grupo de cães, investigadores do paranormal, que protege a pitoresca cidadezinha de Burden Hill de sinistras forças do mal se saiu muito bem, e então novas histórias foram criadas para outras antologias da editora, seguidas de mini-séries e edições especiais como a do crossover com Hellboy.

Beasts of Burden chegou a ganhar o Eisner Awards, o Oscar das histórias em quadrinhos, em algumas categorias desde sua criação. Melhor publicação para adolescentes, em 2010,  Melhor Pintor/Artista Multimídia para a Jill Thompson, também em 2010, e Melhor Edição Única, em 2015, para “Beasts of Burden: Hunters and Gatheres”.

Se você gosta de animais e de histórias de terror, com certeza as aventuras da turma de Burden Hill vão te agradar. Imagine que pegaram os conceitos principais de Baby, o porquinho atrapalhado, uma história onde animais de uma fazenda conversam entre si, como humanos, e dos Homens de Letras da série Sobrenatural, uma sociedade secreta de magos que protegem as pessoas comuns de forças ocultas malignas, e fizeram uma história em quadrinhos com um estilo de arte que lembra livros de contos infantis. Basicamente, o resultado é Beasts of Burden.

A publicação funciona bem para vários públicos, mostrando o potencial das HQ’s além dos títulos de super herois. Pessoas que gostam do gênero fantasia, de terror, aventura ou até mesmo para quem quer apenas ler uma história em quadrinhos como um entretenimento sem compromisso. E funciona porque as histórias possuem os melhores elementos desses gêneros.

Outro segredo para o sucesso do título é justamente o carisma desses personagens. O grupo principal de “wise dogs” é formado por cinco cães, Ace, Rex, Jack, Whitey, e Pugsley, cada um com uma qualidade diferente. Complementando o grupo, temos Orphan, um gato de rua que se intrometeu na sociedade do cães. Mais tarde, Dymphna, uma gata que fora de um coven de bruxas, também passa a ajudar ocasionalmente o grupo. Outros animais coadjuvantes são Hoke, um filhote de guaxinim rabugento, metido a valentão mas que vive levando sermão da mãe, e o Get Away Kid, outro gato de rua que consegue sempre se safar das piores situações.

A tramas criadas por Dorkin e Thompson são simples mas eficientes, conseguindo criar histórias interessantes, com mistérios que fazem o leitor querer virar a página avidamente para saber o que acontecerá em seguida, se deparando com o inesperado, o bizarro e o incomum, que é o que há de mais divertido ao se lidar com o oculto.

Em uma das histórias, por exemplo, começa do nada, uma chuva de sapos. Os sapos então começam a se devorar uns aos outros, até restar apenas um único, gigante, que passa a devorar outros animais. No especial dedicado aos felinos, What The Cat Dragged In, lançado em 2016, Orphan, Hoke e outro gato de rua adentram a casa que era lar de um coven de bruxas, donas da Dymphna. Lá, o grupo encontra um demônio preso no porão, invocado por outros felinos companheiros das bruxas. Mesmo sem poder sair do círculo de invocação, seus poderes afetaram os gatos, causando mortes, mutilações e os mantendo também presos à casa como espécies de zumbis fantasmas.

Os místicos defensores caninos de Burden Hill enfrentam golens, zumbis, bruxas, feiticeiros, demônios, trolls e outros tipos de ameaças. E nesse caso, as aparências enganam. A violência é retratada de forma bem gráfica nas páginas, incluindo sangue e tripas, para o leitor lembrar que não está lendo um título da Maurício de Sousa. O terror e o perigo são reais e podem maltratar bastante os personagens, inclusive matar.

Em 2011 foram publicadas notícias acerca de uma produção em animação de Beasts Of Burden, com envolvimento de Andrew Adamson, diretor de Shreck e As Crônicas de Nárnia e do produtor Aron Warner. Aparentemente, o projeto está engavetado em algum lugar, esperando que alguém o ressuscite com algum tipo de magia.